Thu, 07 Jul 2016 00:00:00 -0400
  Editorial Lagoa, Sainte-Thérèse
Desde a metade do século XX que os urbanistas têm vindo a sublinhar a importância das cidades, como polo de atração, como força motora e fonte de inspiração para que as sociedades humanas possam realizar todo o seu potencial. Ler Artigo
Sobre Sainte-Thérèse e Lagoa LusoPresse em Edição Especial
Prometemos lançar um número especial do LusoPresse sobre a particular ligação que existe entre a Lagoa, na ilha de São Miguel, e Sainte-Thérèse, no Quebeque. Obedeceu isto a proposta apresentada, vai para dois anos, a Sylvie Surprenant, «mairesse» da Ville de Sainte-Thérèse, e João Ponte, então presidente da Câmara Municipal de Lagoa e na ocasião de visita a esta cidade-irmã. Ler Artigo
Deputado e presidente da câmara: Élie Fallu, foi testemunha e promotor da integração.
Élie Fallu recebe-nos no moderno 7º andar da sua casa com vista para as Laurentides. Do sétimo cheio de sol, nós distinguimos ao longe o estádio olímpico. O nosso anfitrião dispôs sobre a mesa meia dúzia de porcelanas de que tem muito orgulho. A recordação de quatro ou cinco viagens a Portugal. Depois de ter sido deputado do Parti Québécois (1976-85), Élie Fallu foi presidente da câmara de Sainte-Thérèse durante 19 anos (1987-2005). O doutor em história foi testemunha da vivência dos Portugueses na sua cidade. Também, artesão direto da sua integração. Ler Artigo
Député et maire: Élie Fallu, fut témoin et promoteur de l'intégration
Élie Fallu nous reçoit au 7e étage de son chez lui moderne surplombant les Laurentides. Du 7e ciel ensoleillé, nous distinguons au loin le stade olympique. Notre hôte a disposé sur notre table une demi-douzaine de porcelaines dont il est visiblement fier. Le souvenir de quatre ou cinq voyages au Portugal. Après avoir été député du Parti québécois (1976-85), Élie Fallu a été maire de Sainte-Thérèse pendant 19 ans (1987-2005). Le docteur en histoire a été témoin du vécu des Portugais dans sa ville. Artisan direct aussi de leur intégration. Ler Artigo
Manter relações com as nossas comunidades
É com grande satisfação e particular orgulho que escrevo um editorial no jornal LusoPresse. Reconheço no mesmo o espírito e a sabedoria não só açoriana, mas, sobretudo, lagoense, uma vez que é gerido pelo nosso conterrâneo Norberto Aguiar a quem deixo, desde já, uma palavra de apreço e reconhecimento, por constituir um exemplo de um emigrante residente no Canadá que conseguiu afirmar-se na sociedade canadiana. Deixar igualmente uma palavra de congratulação pelos 20 anos de existência do Jornal LusoPresse do qual é editor e proprietário, e que tem constituído um importante meio de comunicação social, na vanguarda da informação e ao serviço da comunidade lusodescendente no Canadá. Ler Artigo
Acordo entre Clubes Lions Adiado sine die...
A geminação entre Sainte-Thérèse e Lagoa tem dado lugar a muitas trocas de experiências entre estas duas regiões, como se pode ler em artigo à parte, publicado nesta mesma edição especial do LusoPresse. Ultimamente, surgiu uma outra possibilidade: geminar os dois Clubes Lions. Ler Artigo
Presidente da Câmara Sylvie Surprenant... Descreve os sucessos em turismo e em teatro
A Presidente da Câmara de Sainte-Thérèse orgulha-se dos sucessos concretos do pacto de amizade com os Portugueses. Mme Sylvie Surprenant descreve especialmente duas realizações de anos recentes em matéria de turismo e de teatro. Uma boa forma de «bem desenvolver» as relações entre Lagoa e Sainte-Thérèse. Apesar dos pedidos vindos de outros países, ela prefere concentrar-se sobre esta cidade dos Açores (e Annecy em França) para que os pactos «continuem vivos e ativos». Eis alguns extratos da conversa entre Mme Surprenant, o chefe de redação Norberto Aguiar e o jornalista Jules Nadeau. Ler Artigo
La mairesse Sylvie Surprenant... Décrit des réussites en tourisme et en théâtre
La mairesse de Sainte-Thérèse est fière des réussites concrètes du pacte d'amitié avec les Portugais. Madame Sylvie Surprenant décrit en particulier deux réalisations des années récentes en matière de tourisme et de théâtre. Une bonne façon de «bien développer» les rapports entre Lagoa et Sainte-Thérèse. Malgré des demandes parvenues d’autres pays, elle préfère se concentrer sur cette ville des Açores (et Annecy en France) pour que les pactes «demeurent vivants et actifs». Voici quelques extraits de la conversation entre madame Surprenant, le rédacteur en chef Norberto Aguiar et le journaliste Jules Nadeau. Ler Artigo
Divino Espírito Santo A origem das festas
As festas do Espírito Santo, que encontramos por toda a parte onde vivam açoreanos, veio do Continente, transportada pelos Franciscanos. De facto, desde o século XIII que o Espírito Santo é celebrado. A tradição liga as festas à ação da Rainha Santa Isabel que as teria promovido pela primeira vez em 1231, como promessa devido às pazes obtidas no conflicto que opôs o seu marido, D. Dinis, ao seu filho, o futuro D. Afonso IV. Estudos recentes, porém, demonstram que a festa já se realizava em Portugal antes desta data. A origem mais remota das festas há que as procurar na Calábria, na Itália, onde o monge cisterciense Joaquim de Fiore (1132-1202) defende que na história da humanidade, depois de um império do Pai (Antigo Testamento) e de um império do Filho (Novo Testamento), virá o império do Espírito Santo, que trará a justiça e a fraternidade entre os homens. Ler Artigo
Armando Melo: Futebol, política, e honra maior, <<cidadão sainte-thérèse="" de="">>
Por si só, Armando Melo representa muito bem o vivido e o futuro da comunidade portuguesa, exatamente como o progresso do futebol no Quebeque. O açoriano de Atalhada chegou no seu novo país com a idade de 9 nos e depressa se integrou na maioria francófona da escola de Sainte-Thérèse. Um aluno trabalhador com boas notas e que lia muito. Ler Artigo
Armando Melo: Soccer, politique et, honneur, <>
À lui seul, Armando Melo représente très bien le vécu et le devenir de la communauté portugaise, exactement comme la progression du soccer au Québec. L'Açorien d’Atalhada est arrivé dans son nouveau pays à l'âge de 9 ans et s’est vite intégré à la majorité francophone à l'école de Sainte-Thérèse. Un étudiant travailleur aux bons bulletins qui lisait beaucoup. Ler Artigo
Em Sainte-Thérèse... As festas do Divino Espírito Santo
Quando se emigra, leva-se na memória o que achamos de mais característico das nossas raízes. Por isso, não admira que a diáspora açoriana tenha disseminado o culto ao Divino do Espírito Santo, adaptando-o aos novos lugares. Assim ocorreu nos Estados Unidos, no Brasil e igualmente no Canadá. Sainte-Thérèse não escapa à regra. Quem nos explica como tudo aconteceu foi a sra. D. Maria dos Anjos Pereira. Originária da Lagoa, aqui chegou em 1960.. Ler Artigo
Le soutien des relations avec nos communautés
Le jumelage entre Lagoa et Sainte Thérèse a permis jusqu»à ce moment une approche et une compréhension mutuelle entre les deux villes au niveau culturel, sportif, social, éducatif et touristique. Ler Artigo
La Fête du Saint-Esprit
La Festa do Divino Espírito Santo ou la Fête du Saint-Esprit a ses origines dans la pensée du moine cistercien italien Joachim Flore (1130-1202), qui défendait l'idée que le monde aurait vécu l»âge du Père (la crainte), l'âge du Fils (la foi) et un nouvel âge viendrait, celui du Saint-Esprit (la charité). Ces idées ont été bien accueillies par les Franciscains qui les ont diffusées partout. Selon la tradition, vers 1296, la reine Isabelle du Portugal aurait instauré des fêtes en honneur du Saint-Esprit. Elles sont bien ancrées dans la religiosité des peuples des Açores, qui les ont diffusées partout grâce à leur immigration, notamment au Brésil, au Canada et aux États-Unis. Ler Artigo
Um Quebequense lusófilo «se souvient» de Lagoa
«Tu devias escrever as impressões como quebequense que guardas da Lagoa» pede-me o chefe de redação – o nosso valoroso homem de Cabouco. Ler Artigo
Na Caixa Desjardins de Ste-Thérèse Patrícia Tavares é diretora do Serviço à clientela
Nasceu em Angola e está no Quebeque desde a idade dos 4 anos. Tem um bacharelato em Comércio, tirado na Universidade Concordia, é casada e mãe de filhos. Trata-se de Patrícia Tavares, a atual diretora do Serviço à Clientela, na Caixa Desjardins de Thérèse-De-Blainville, que está situada no 201, Curé-Labelle, em Sainte-Thérèse. Ler Artigo
Ribeira Chã: «Para crescer precisamos de mais habitação»
Tem apenas 366 pessoas num espaço geográfico de 2,52 quilómetros quadrados. Tornou-se freguesia a 18 de maio de 1966 por impulso do padre João Flores, natural da Fajã dos Vimes, na ilha de São Jorge. De resto, se a Ribeira Chã se tornou freguesia naquela altura e é o que é hoje, muito deve àquele malogrado padre, um dos mais ativos sacerdotes da ilha no nosso tempo de jovem adulto. Ler Artigo
Freguesia de Nossa Senhora do Rosário «Faltam estruturas hoteleiras para um maior desenvolvimento»
Entrevista conduzida por Norberto Aguiar Ler Artigo
Freguesia de Cabouco Melhor oportunidade
Realizámos uma entrevista sobre o Cabouco com o então presidente da Junta de Freguesia César Augusto Medeiros Pacheco em agosto do ano passado. E porque o jovem César já deixou o cargo para abraçar um novo projeto, este mais ligado à sua condição de promissor lavrador, achámos por bem não transcrever o conteúdo da entrevista realizada por respeito ao César e, por conseguinte, ao novo presidente de quem sabemos pouco ou nada. Ler Artigo
Sainte-Thérèse... Retrospectiva histórica
Santa-Teresa de Blainville está situada na região emblemática das Laurentides, sendo sede duma municipalidade regional de território, implantada na região administrativa do Quebeque, composta de oito municipalidades regionais e 83 municipalidades. Ler Artigo
Água de Pau A freguesia que não dorme
A nossa conversa com o presidente da Junta de Freguesia de Água de Pau, José Fernando Costa, teve lugar no seu escritório, na sede da Junta, por sinal, arrumado quanto baste. Água de Pau tinha acordado e no exterior começava um lindo dia de sol. Antes da conversa propriamente dita, José Fernando Costa, na casa dos 50 anos, dá-nos a conhecer o edifício da Junta e suas valências. Ler Artigo
Em Santa Cruz «Desemprego e falta de habitação social, os nossos flagelos»
Poucos sabem que nasci em Santa Cruz, na rotunda da Canada Larga – não sei se ainda se chama assim... – no dito Cabo da Vila. A minha bisavó materna, que adorava minha querida mãe, morava a 50 metros, na inclinada descida para o centro da freguesia, isto de quem vinha do lado de Água de Pau. Ler Artigo
Festas de São Pedro... Uma ideia de António Soares Manteiga que perdura
Ainda como presidente da Associação Portuguesa de Sainte-Thérèse, Luís Martins deu início às festas do Divino Espírito Santo de São Pedro como, aliás, aconteceu com as festas de Nossa Senhora dos Anjos, já aqui expresso noutro texto algures nestas páginas. Aquelas, uma ideia do malogrado António Manuel Soares, também conhecido por António Manuel Manteiga, resistiram aos contratempos e alguns conflitos de personalidade e estão aí, provavelmente para durar. Já as últimas não resistiram aos problemas e ficaram pelo caminho poucos anos após a sua criação, «apesar dos esforços de muita gente, como Eugénio de Melo, José Duarte... Até mandámos vir de Portugal uma imagem da Santa!» Ler Artigo
Gilles Charron, apaixonado de história e quase museólogo
O ex-jornalista Gilles Charron representa uma boa parte da memória de Sainte-Thérèse. Um investigador incontornável para compreender as bases históricas e mesmo o perfil contemporâneo da cidade. Encontramo-nos com ele no Museu regional Joseph Filion onde estão conservados inestimáveis arquivos, donde uma parte numa casa forte. É o quartel-general da Sociedade de História e de Genealogia das Mille-Îles. Investigador, autor, promotor e animador, o septuagenário merece todos estes títulos no seu trabalho de conservador. Ler Artigo
Em Sainte-Thérèse Imitério Soares – primeiro presidente da associação portuguesa
Imitério faz parte do grupo de pioneiros portugueses que chegaram ao Canadá em 1953, em virtude de um entendimento com o governo canadiano, que necessitava de mão-de-obra para vários setores de atividade. Para os dirigentes portugueses era uma boa maneira de aliviar a falta de trabalho que grassava sobretudo nos arquipélagos da Madeira e dos Açores. Ler Artigo
José Cebola, o luso-teresiano de múltiplas facetas
O vigoroso octogenário ao grande sorriso, José Cebola, cofundador da Associação Portuguesa de Santa Teresa, é nem mais nem menos o condensado vivo de várias particularidades. Originário do continente, duplo apego, casou-se com uma jovem das ilhas. Outra religião, ele é protestante da Igreja Unida e, por este facto, ligado à minoria anglófona. A sua outra devoção é o futebol. Entre outras coisas, leva-nos a inspecionar a sua igreja que se metamorfoseia em sala de teatro. Igualmente o cemitério da comunidade inglesa. Outra particularidade, José Cebola trabalhou durante 28 anos para a General Motors onde atingiu o grau respeitável de supervisor. Ler Artigo
José Cebola, le Luso-Thérésien aux multiples facettes
Le vigoureux octogénaire au grand sourire, José Cebola, co-fondateur de l'Association Portugaise de Sainte-Thérèse, est ni plus moins que le condensé vivant de plusieurs particularités. Originaire du continent, double attachement, il a épousé une fille des îles. Religion autre, il est protestant de l»Église unie et de ce fait relié à la minorité anglophone des Laurentides. Tandis que son autre dévotion c'est le soccer. Entre autres, il nous amène inspecter son église qui se métamorphose en salle de théâtre. Également le cimetière de la communauté anglaise. Autre particularité, José Cebola a travaillé pendant 28 ans à General Motors où il a atteint le grade respectable de superviseur. Ler Artigo
Le Clube Operário Desportivo de Lagoa
Le Clube Operário Desportivo est le club de soccer de Lagoa. Affilié à l'Association de Soccer de Ponta Delgada (São Miguel), le club fut fondé en 1948. L’Operário possède une académie de soccer qui regroupe 10 équipes selon les classes d'âge. Son premier grand succès est le titre de champion régional en 1968/69 et obtient aussi la coupe São Miguel; la saison suivante le club remporte le championnat de soccer des Azores. Plusieurs autres succès se suivront, tels qu’on peut constater en visitant l'exposition des nombreux trophées exposés dans son siège. Il y a déjà 14 ans que l»équipe principale de l'Operário joue dans la 2e division nationale qui intègre aussi des équipes de soccer siégés au Portugal continental. La moitié de ses joueurs sont d’originaires de Lagoa. Le Clube Operário dispute ses matchs à domicile au Stade João Gualberto Borges Arruda, une enceinte spécifique pour le soccer de 2 500 sièges. Au-delà du soccer, le club a aussi des sections de judo, athlétisme et basketball. Ler Artigo
Em Sainte-Thérèse... «Se há hoje uma associação, isso deve-se ao futebol»
Quem o diz, com verdade comprovada por muitos, é Luís Martins, o maior cabouqueiro da Comunidade Portuguesa da Baixa Laurentides. Ler Artigo
Luso Presse en édition spécial Sainte-Thérèse et Lagoa
Ce numéro spécial dédié au jumelage entre Sainte-Thérèse et Lagoa est le résultat d'une proposition que nous avons présenté il y a deux ans aux maires des deux villes, Sylvie Surprenant et João Ponte. Le remplacement de João Ponte par Cristina Calisto Decq Mota justifie le retard de cette publication. C’est avec fierté que nous vous présentons de numéro spécial de 28 pages. Ler Artigo
Aprendizagem e memória de Lagoa
A presente edição do LusoPresse, que inclui um caderno especial (comemorativo) dos 20 Anos de Geminação das cidades de Ste-Thérèse e Lagoa, trouxe-me à memória uma outra edição deste jornal (designada LusoPresse – Lagoa), no já distante ano de 2000 (mais propriamente, 1 de setembro), em que gostosamente colaborei. Ler Artigo
Norberto Ponte, Presidente da NELAG <<Necessitamos Investidores>>
Cidade situada na costa sudoeste da Ilha de São Miguel, conta cerca de 15 mil habitantes que se ocupam principalmente da agricultura e duma grande variedade de serviços públicos, restauração típica e internacional, nos 45,57 km² de superfície. A aglomeração de que é sede, é constituída por cinco freguesias — Água de Pau; Cabouco; Ribeira Chã; Nossa Senhora do Rosário e Santa Cruz. Estas duas últimas, estão no interior dos seus limites municipais. Vizinha da capital económica e administrativa da Ilha, a cidade de Ponta Delgada, Lagoa foi elevada a cidade por decisão do Parlamento Açoriano em março de 2012. Ler Artigo
O Operário da Lagoa Um viveiro de mais de 300 atletas
O Clube Operário Desportivo da Lagoa (S. Miguel, Açores) foi fundado em 1948 e de início era constituída por operários da Fábrica de Álcool da Lagoa. Sessenta e oito anos mais tarde agrega mais de 300 atletas distribuídos por diferentes modalidades (atletismo, basquetebol, judo e maioritariamente futebol). granjeados ao longo da sua história. Ler Artigo
Os 10 anos da presidência de Luís Martins Um período fausto!
Em 1977, um novo ciclo estabeleceu-se na vida da Associação sob a presidência de Luís Martins, que ainda penou para reaver a liderança do organismo. Um prazo de três meses foi preciso para provar que a capacidade da nova equipa estava lá... Antes, porém, Luís Martins já tinha demonstrado que maturidade diretiva era coisa que não lhe faltava. E isto provou-o, em 1976, quando levou a equipa dos Bravos aos Açores, uma iniciativa pioneira para a época. Ler Artigo
Sara Franco... Nasceu uma estrela em Sainte-Thérèse
Estava escrito no céu que alguns meses depois sairia do digno repouso e, rapidamente, já na cadeira de encosto, com os olhos postos no céu, viria a cochichar com os botões mágicos e guardadores de segredos, os quais pareciam querer desejar-me felicidades e boa saúde. Caiu a noite e logo me aconselhou a escrever mais e melhor. Ora, enquanto o nosso leitor dorme e sonha no dia seguinte, curiosamente penso e dou-me conta de que a comunidade portuguesa de Montreal envelhece a passos de gigante. Sem dúvida que necessitamos de gente que nos represente nas sociedades de acolhimento. Contudo, há que deixar aos jovens o maior legado que é a língua portuguesa e, eles saberão quem fomos e o esforço que fundámos para que Portugal pulse a bom ritmo aquém-fronteiras. . Ler Artigo
Cidade de Santa-Teresa, Quebeque Cidade de Artes, de Cultura e de Saber
No início duma das mais bonitas regiões do Quebeque, as Laurentides, a norte da cidade de Laval e da Ribeira das Mil Ilhas, braço direito do Rio São Lourenço, na grande região de Montreal (província do Quebeque), no cruzamento das autoestradas 15 e 640, no coração das municipalidades mais importantes da região, a cidade de Santa Teresa, sede da MRC (1), polo de vasto setor residencial e parceiro incontornável da economia regional, graças aos seus diversificados parques industrial e comercial, distingue-se pela sua arquitetura típica e pelas suas numerosas atividades culturais de esplendor regional e internacional. Todos estes trunfos facilitaram-lhe um fulgurante impulso imobiliário e económico. Ler Artigo
Armando Arruda, a saudade das refeições em família
Quando Armando Arruda evoca os anos da sua juventude em Água de Pau, a recordação mais profunda, «inesquecível» mesmo, são as festas de família ao fim do dia na cozinha. O calor humano duma família numerosa de oito filhos que gozavam também do amor dos avós maternos – privados dos seus próprios filhos já a viverem no estrangeiro. Por outro lado, a recordação mais penosa na terra da emigração, é o facto de ver partir dum dia para o outro os amigos e os vizinhos para as Bermudas, o Canadá e os Estados Unidos. As ruas despejavam-se nos anos 60. Ler Artigo
À imagem de quem somos Portugal marcha em Montreal
Apesar da ausência motivada por contratempos que a vida nos traz, o meu coração beirão mostrou-se bondoso e encheu-se de saudade, com a noite de S. João e as Marchas que desfilam na comunidade lusa de Montreal. Ler Artigo
Armando Arruda, la saudade des agapes de famille
Quand Armando Arruda évoque ses jeunes années à Água de Pau, son souvenir le plus profond, «impérissable» même, ce sont les agapes familiales de fin de journée dans la cuisine. La chaleur humaine d'une famille nombreuse de huit enfants jouissant de l’amour des grands-parents maternels -- privés de leurs propres enfants déjà partis à l'étranger. Par contre, le souvenir le plus pénible dans une terre d»émigration, c'est le fait de voir partir du jour au lendemain ses amis et ses voisins pour les Bermudes, le Canada et les États-Unis. Les rues se vidaient dans les années 60. Ler Artigo
Gilles Charron, féru d'histoire et presque muséologue
L’ex-journaliste Gilles Charron représente une bonne partie de la mémoire vive de Sainte-Thérèse. Un chercheur incontournable pour comprendre les assises historiques et même le profil contemporain de la ville. Nous le rencontrons au Musée régional Joseph-Filion où sont conservées d'inestimables archives, dont une partie dans une chambre forte. C’est le quartier général de la Société d'histoire et de généalogie des Mille-Îles. Recherchiste, auteur, promoteur et animateur, le septuagénaire mérite tous ces titres dans son travail de conservation. Avec son cellulaire au bout des doigts, très techno avec aussi une page Facebook, l»érudit du passé se met à notre disposition pendant un bon moment (et nous guider vers ses amis Élie Fallu et José Cebola). Ler Artigo
Vive em Ste-Thérèse... Fragoso, o lateral dos grandes «lançamentos em queda»
Nasceu no Porto dos Carneiros, na freguesia do Rosário, na cidade de Lagoa, de uma relação extraconjugal (de mãe viúva) e vive em Ste-Thérèse desde 17 de junho de 1973 – dia em que realizámos esta entrevista, por mera coincidência, claro. Estamos a falar de Guilherme Costa - Fragoso; Costa, por parte da mãe, e Fragoso, por banda do pai. De resto, toda a gente, em Lagoa e na ilha, como já irão ver, só o conhecem por Guilherme Fragoso, pela abastança do pai e, sobretudo, pela sua ligação como futebolista ao clube da terra, o Operário Desportivo. Ler Artigo
Guarda-redes Isaías da Ponte... Se hoje, sem dúvida que jogaria numa qualquer Primeira Liga!
Ainda criança habituei-me a assistir aos jogos do Clube Operário Desportivo – onde joguei mais tarde. Muitas vezes acompanhado de amigos já adultos. Porque naquela época, não sendo o futebol, como divertimento só podia ser o cinema. Mas havia o problema da idade... Ler Artigo
Lusobec
Lusobec est une fondation qui a la vision de garder l´importance de l´histoire, de la culture, de l´éducation et du développement social des individus de la communauté luso-québécoise. Cela permet une plus grande projection collective de cette communauté avec une meilleure participation et intégration et, ainsi, contribuer au développement et enrichissement de la société québécoise et canadienne. Ler Artigo