logo
rss  Vol. XV - Nº 237         Montreal, QC, Canadá - quinta-feira, 04 de Março de 2021
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContacto arrowÚltima hora arrowClima

Bilhete de Lisboa

Euroskills

Por Filipa Cardoso

 

european skills promotion organization
Jos de Goey, President European Skills Promotion Organization

Já entrámos no Ano Novo e gostaria de partilhar uma notícia que nos faz ainda acreditar que "Yes, we can".

No início de dezembro realizou-se na FIL, em Lisboa, o Euroskills - Campeonato Europeu das Profissões. A organização foi da responsabilidade do Instituto de Emprego e Formação Profissional em conjunto com aEuropean Skills Promotion Organization.Nesta competição estiveram mais de 500 jovens oriundos de 27 países do continente europeu. Estes jovens estiveram a competir em cerca de 50 profissões divididas por 6 áreas temáticas. Portugal esteve representado por 60 jovens que competiram ou individualmente ou em equipa.

E Portugal brilhou. Foi o país mais medalhado, com 31 medalhas, 10 de ouro, 12 de prata e 9 de bronze, e ficou em primeiro lugar em pontuação.

As medalhas de ouro ficaram assim distribuídas:

Cabeleireiro (Daniela Marques); Técnico de Máquinas Tradicionais (Enio Garanito); Desenhador de Moda (Mónica Gonçalves); Costureiro (Leandro Costa); Especialista Cisco (Rafael Roque); Designer Web (Fábio Azevedo): Técnico de Frio (André Roberto); Soldador (Jairo Carrasco); Técnico de Serviços Sociais (Alexandre Marques e Luís Ribeiro).

No dia do encerramento da competição o Presidente do Instituto de Emprego e Formação Profissional, Francisco Madelino, era um homem feliz, e dizia: "a prestação dos concorrentes nacionais durante as provas, nas 50 profissões, comprova a qualidade do nosso sistema de formação profissional, sem dúvida ao nível do que de melhor se faz na Europa".

Pela FIL, durante estes 3 dias passaram mais de 62 mil visitantes, nomeadamente alunos e professores que vieram ver de perto as potencialidades da formação."

O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

Apesar das resistências encontradas na imprensa portuguesa em geral, o LusoPresse decidiu adoptar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa pelas razões que já tivemos a oportunidade  de referir noutro local.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.
 
Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2021