logo
rss  Vol. XV - Nº 236         Montreal, QC, Canadá - quinta-feira, 04 de Março de 2021
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContacto arrowÚltima hora arrowClima
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Na Universidade de Montreal

Cátedra da Cultura Portuguesa inaugurou novas instalações

Por Duarte M. Miranda, especial para o LusoPresse

Na Universidade M Catedra Universidade Montreal.jpg

Teve lugar na passada terça-feira, 7 de Dezembro, a inauguração das novas instalações da Cátedra da cultura portuguesa da Universidade de Montreal, que vinha até recentemente ocupando um local modesto e demasiado contíguo para as suas necessidades. Para a ocasião, o Professor Luís de Moura Sobral, fundador e titular da Cátedra, acolheu um grupo de pessoas que, mesmo se estávamos no meio da primeira verdadeira tempestade deste inverno, compareceram tanto para conhecer os novos locais, como também, e sobretudo, conforme pude constatar, para felicitá-lo por mais esta sua «conquista» dentro da Universidade, e para demonstrar-lhe o seu apoio diante do esforço que ele continua exercendo para manter viva esta presença lusitana nos quadros académicos da Universidade de Montreal. Facto, diga-se de passagem, muito sui generis e sem qualquer outra semelhança nas Américas.

Entre os convidados, encontrava-se o cônsul-geral de Portugal, Dr. Fernando Demée de Brito, que, através da sua presença veio não só prestigiar o acontecimento, mas sobretudo, como sublinhou, confirmar o apoio das entidades portuguesas à obra do Professor Moura Sobral. É de destacar, aliás, o apoio financeiro da Fundação Calouste Gulbenkian, que continua sendo essencial para o desenvolvimento das actividades da Cátedra. Aliás, uma placa comemorativa, colocada numa das paredes do local, sublinha que uma contribuição da Fundação tenha permitido a aquisição e a instalação de novos equipamentos informáticos essenciais ao seu bom funcionamento. Uma colecção de livros de arte vindos de Portugal faz também parte da generosa contribuição dessa Fundação portuguesa ao novo património da Cátedra.

O Professor Luís de Moura Sobral, estava acompanhado do Decano da Faculdade das Artes e Ciências da Universidade de Montreal, Dr. Gérard Boismenu, e dum pequeno grupo de colegas, professores e colaboradores da Universidade, que decidiram e conseguiram ultrapassar as inclemências da tal tempestade. Durante uma pequena alocução, o Dr. Boismenu reconheceu todo o mérito da obra do Professor Moura Sobral, e a satisfação da Universidade de Montreal e da Faculdade com o desempenho da Cátedra. Alguns dos estudantes que integram o programa académico da Cátedra, e entre eles uma estudante em pós-graduação de origem luso-brasileira, acompanharam também a inauguração das novas instalações. Era óbvia e contagiante a alegria e a satisfação desses indivíduos que vêm jogando um papel importante na divulgação e no desempenho da Cátedra.

As novas instalações tinham sido prestigiadas com uma série de quatro obras de azulejos oferecidas à Cátedra por quatro artistas de origem portuguesa, os senhores Joseph Branco, Carlos Calado, Joe Lima e Miguel Rebelo. Essas obras eram oriundas do trabalho realizado anteriormente pelos mesmos artistas para a obra dos bancos de granito que hoje ornam os passeios do Boulevard Saint-Laurent em honra da Comunidade Portuguesa de Montreal. Aliás, compareceram ao evento dois desses artistas, o Carlos Calado e o Joe Lima, que nos ofereceram suas interpretações das suas obras respectivas que doaram à Cátedra. Compartilhando as paredes das instalações da Cátedra com duas gravuras de artistas de renome Portugueses, José Faria e Gil Teixeira Lopes, os azulejos jogam um papel importantíssimo na caracterização «Portuguesa» que identifica a Cátedra da Cultura Portuguesa da Universidade de Montreal.

Estavam também presentes a Senhora Isabel Santos, antiga conselheira municipal da Câmara de Montreal e o professor Joaquim Eusébio, colaborador assíduo da Cátedra. Por minha parte, tive o prazer de prestigiar através da minha presença, aquele pequeno núcleo de Amigos da Cátedra – Dr. Manuel Cardoso, Tony Costa, Carlos Ferreira, Roberto Sousa e António Costa (da Indonésia), e eu mesmo – que vêm, desde o início, oferecendo um apoio financeiro ao desempenho desta iniciativa que prestigia a nossa cultura portuguesa e a nossa contribuição e presença nestas terras.

Durante a sua alocução, o Professor de Moura Sobral, além de agradecer todos aqueles e aquelas que o têm ajudado desde o início para a concretização e o mantimento da Cátedra, recordou as várias iniciativas e actividades que ela vem promovendo, como conferências; concertos; fóruns académicos; colóquios, etc. Ele sublinhou também a contribuição dos membros da Cátedra, através de comunicações, conferências e publicações de trabalhos, tanto no Quebeque, como em outras províncias canadianas e no estrangeiro. O Professor fez, além disso, a divulgação de uma série de colóquios e exposições previstos para 2011 e 2012, tanto aqui em Montreal como em Portugal e em outros países, actividades essas promovidas e realistadas pela Cátedra, em colaboração com outras instituições e fundações académicas do Canadá, Portugal e mesmo dos Estados Unidos. De maior destaque é o colóquio que está sendo organizado, com a participação activa e assídua do Professor Moura Sobral, em colaboração com a Universidade Nova Lisboa, e, possivelmente, com a prestigiosa Luso-American Foundation dos Estados Unidos, para um colóquio e uma exposição aqui em Montreal em 2012, pondo em evidência aspectos importantes da nossa cultura portuguesa.

Esta inauguração que teve o mérito de ser filmada e gravada pelo jovem luso-canadiano de Montreal, Andrew Lima, não pôde terminar sem o tradicional cálice tradicional de Vinho do Porto, acompanhado do verdadeiro Queijo da Serra e da marmelada portuguesa, oferta do Professor Moura Sobral.

Parabéns ao Professor Luís de Moura Sobral, e longa vida à Cátedra da Cultura Portuguesa da Universidade de Montreal!

Cultura
Teve lugar na passada terça-feira, 7 de Dezembro, a inauguração das novas instalações da Cátedra da cultura portuguesa da Universidade de Montreal, que vinha até recentemente ocupando um local modesto e demasiado contíguo para as suas necessidades.
Na Universidade de Montreal.doc
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2021