Edição  Texto

Ano  XI - Nº 168 Montreal, 15 de Outubro de 2007 Notícias e comentários da comunidade lusófona
ARTIGOS E COMENTÁRIOS
Editorial
Alto, e pára o baile
OlhoCOMUNITARIO

  Editor: Norberto Aguiar
  Director: Carlos de Jesus
  Meteo

Links Úteis

Teia Portuguesa



Carrefour Lusophone


Viragem.net
Páginas de Montreal

Saturnia
Primeira Página Páginas Interiores


No Restaurante Chez le Portugais

Jordelina Benfeito lança o seu quinto disco

Reportagem de Jules Nadeau








Foto LusoPresse/Jules Nadeau

Após cerca de seis meses de preparação Jordelina Benfeito acaba de lançar o seu quinto disco de fado. A artista, originária de São Miguel, começa uma série de espectáculos em diversas cidades, daqui até ao fim do ano. «Dedico este CD ao Noah, o meu neto de oito anos. É por isso que se intitula ‘Ser avó’», declarou na entrevista concedida ao LusoPresse.



Após o recente espectáculo na igreja de Santa Cruz, Jordelina Benfeito vai produzir-se no dia 27 deste mês em Hull, a 10 de Novembro no Estrela do Oceano na rua Rachel e a 20 de Novembro no Clube Oriental de Montreal.

Nascida na Ponta da Bretanha numa família que contava quatro raparigas, a artista açoriana vive há 40 anos no Quebeque. Desde a idade de seis anos que começou a cantar em coros e foi muito mais tarde que enveredou pelo fado, sem nunca ter tido lições de canto: «Nunca fui a Alfama, nem mesmo a Lisboa, o que é um pouco estranho para uma fadista». A última visita aos Açores remonta a 1992, quando foi convidada pelo Governo Regional para ir ao Pico cantar para o presidente Carlos César. Um belo momento na sua carreira de 25 anos.

O músico Libério Lopes também é originário da ilha Verde. O outro guitarrista, António Moniz, é nativo de Livramento. Por seu lado, João Pereira afirma vir da «mais bela ilha de Portugal, a Madeira, o paraíso das flores». O volúvel músico, é igualmente uma vocação tardia no fado depois de ter estudado com o cunhado e ter sido um admirador de Elvis. «O fado não é fácil. Por vezes é preciso três meses para dominar perfeitamente uma canção. E canta-se no silêncio, sem microfone. Com respeito!»







Copyright 2004-2006 LusoPresse
All copyrights acknowledged. All rights reserved.